Suporte técnico

0800 704 0606

Suporte técnico

0800 704 0606

A abertura da competição está marcada para 11 de abril, no Autódromo Internacional de Curitiba. Ao todo, serão nove etapas programadas, algumas delas inéditas, com novos carros, novo formato e repletas de atrações.

A GT Sprint Race acaba de confirmar e anunciar seu calendário definitivo para a temporada 2020, que é considerado pela organização “o mais eclético da história da competição”. Em sua nona edição, com novo formato entre outras novidades, o campeonato contará com nove etapas, algumas delas com atrativos inéditos e em pistas onde nunca foi disputado.

É o caso, por exemplo, das três etapas em edição especial (Special Editions): a #SunsetGoiânia, estreia no Autódromo Internacional de Goiânia (GO), na terceira etapa, em maio; a #AirportTrack, prova inédita no Aeroporto da região metropolitana de Curitiba, na sexta etapa, em agosto; e a inauguração do autódromo de Potenza, na região Juiz de Fora (MG), marcada para novembro, correspondente à oitava etapa. Nessas etapas especiais, os pilotos vão competir obrigatoriamente em dupla, cada qual em sua respectiva classe (PRO e GP) e além do título, concorrerá a R$ 100 mil em dinheiro, como prêmio.

Complementando o campeonato, as outras seis etapas (12 corridas), serão realizadas todas no Brasil, tendo um ou dois pilotos por carro, os quais concorrerão ao título das classes PRO e GP. As etapas internacionais só retornam em 2021, integrando o campeonato a cada biênio.

Outras atrações tradicionais especiais, já consagradas em temporadas passadas, estão confirmadas em 2020. A Guest Race, onde um piloto consagrado no automobilismo é convidado para compor o grid; a Super Pole (Q2), sistema de qualificação que é destinada apenas para os cinco pilotos mais rápidos, os quais terão somente uma volta independente (prevista para a quarta etapa, em julho, no Velo Città); a Inverse Race, com grid invertido para os oito primeiros (na quinta etapa em Interlagos); a tradicionalíssima Night Challenge, corrida noturna, que deve acontecer na segunda etapa, em maio, no autódromo de Londrina; a Set Up Free, na qual os pilotos têm liberdade para realizar o acerto do seu carro, e a etapa decisiva com o Match Point, em Interlagos, foram mantidas.  Na disputa destas, os pilotos concorrem a premiações que somam R$ 300 mil em investimentos.

Na abertura da temporada 2020, a GT Sprint Race retorna às origens, realizando sua primeira disputa no circuito da capital paranaense. “A abertura em Curitiba é uma grande satisfação. Iniciar o campeonato aqui, que considero a casa da Sprint Race, onde tudo começou. Este calendário é o mais eclético de todas as temporadas. A única pista que vai repetir, a princípio, é Interlagos. Todos os circuitos diferentes”,  revela Thiago Marques, CEO da GT Sprint Race.

Leia mais

Anterior
Próxima